11 mar

Tecniplas completa dez anos de oblatação de tanques de PRFV

A Tecniplas é a precursora no Brasil da oblatação de tanques de compósitos em PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro). Há exatos dez anos a empresa introduziu esse sistema no Brasil, tecnologia que abriu um novo mercado para o PRFV: o dos megatanques.

Em linhas gerais, a oblatação permite que as seções dos tanques sejam ovalizadas e acinturadas, assumindo o formato semelhante ao de um “oito”. Dessa maneira, um reservatório de 15 metros de diâmetro, após a oblatação, fica com 5 metros, dimensão adequada às normas brasileiras de transporte rodoviário. No local de instalação, as seções são redimensionadas e, de forma manual, laminadas umas sobre as outras.

“No passado, uma das barreiras para a evolução dos megatanques de compósitos em PRFV era o transporte. Até que, em 2010, trouxemos dos EUA a tecnologia de oblatação”, lembra Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas.

Na ponta do lápis, a oblatação pode reduzir o tempo de transporte de 90 para 10 dias. Também permite transportar, dependendo do diâmetro do tanque, dois ou três anéis em uma mesma carreta. “Ou seja, significa um ganho logístico considerável”, comenta.

Maior tanque de PRFV do Brasil

Ao longo dos últimos anos, a Tecniplas fabricou dezenas de reservatórios oblatados, sendo a maioria voltada à armazenagem de produtos químicos corrosivos. “O histórico de aplicações em ambientes agressivos habilita plenamente a utilização dos nossos megatanques no setor de saneamento”, observa Rossi.

Com capacidade de 3 milhões de litros e 15 metros de diâmetro, o maior tanque de compósitos em PRFV até hoje produzido pela Tecniplas – e o maior de que se tem notícia no Brasil – foi fornecido em 2016 para uma empresa da área de mineração.

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe