Quem somos

Erika Bernardino Aprá
Presidente da ALMACO

Fundada em 1982, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Ao longo dos últimos meses, a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) vem promovendo pesquisas qualitativas para mapear os danos causados pela pandemia de Covid-19 ao setor brasileiro de compósitos.

Participam dos levantamentos empresas de diversos elos da cadeia produtiva do material, um tipo de plástico de alta performance largamente consumido pelas indústrias de transportes, construção civil e geração de energia, entre outras.

Crescimento de 11% em 2021

Depois de um 2020 com queda de 4,6% no consumo brasileiro de compósitos, a expectativa da ALMACO para este ano é de crescimento de 11%, totalizando 230 mil toneladas de compósitos – em valor, R$ 3,377 bilhões (+16%). “A construção civil permanece aquecida, assim como a demanda de indústrias que lidam com processos altamente corrosivos, ambientes nos quais os compósitos se destacam por conta da elevada resistência química”, avalia Erika.