29 ago

Siemens Gamesa vai produzir conversores em Camaçari

Fabricante terá capacidade de produzir 100% dos seus conversores no Brasil, reafirmando compromisso com a indústria eólica nacional e com a economia local da região. Montagem final das novas turbinas no Brasil é comemorada.
A Siemens Gamesa Renewable Energy (SGRE) anunciou mais um importante investimento em sua estrutura industrial no Brasil. A empresa abrirá uma nova área de produção de conversores na sua unidade em Camaçari, na Bahia, sendo a primeira fabricante com capacidade de produzir 100% dos seus conversores no Brasil, o que melhora consideravelmente sua posição competitiva no país. O início das operações acontecerá neste mês de agosto, quando a empresa também comemora a conclusão das primeiras turbinas eólicas SG 2.6-114 e SG 3.4-132 produzidas no Brasil.
Segundo a multinacional, a nova linha de produção de conversores fará parte do atual complexo de manufatura, que já produz hubs e naceles, localizado no Polo Petroquímico de Camaçari. Em 2018, foram fabricados os equipamentos para o mercado local, com os hubs sendo exportados para vários países da América Latina. Para Roberto Prida, diretor administrativo onshore da companhia no Brasil, o investimento feito na localização dos aerogeradores reforça o compromisso da empresa com o mercado eólico brasileiro e com o desenvolvimento da economia local de Camaçari. “Estamos comprometidos com o fornecimento de energia limpa e renovável para as pessoas na Bahia, no Brasil e em outros países, num movimento que nos permite oferecer soluções ainda mais acessíveis e econômicas”, disse o executivo.
A produção dos conversores atenderá à demanda de turbinas de clientes atuais e futuros. Esses equipamentos são usados com o gerador para transformar a energia mecânica em energia elétrica. Antes, eram adquiridos de fornecedores qualificados, que fabricavam as peças de acordo com as especificações da Siemens Gamesa. Miguel Garcia Represa, diretor industrial da Siemens Gamesa no Brasil, afirmou que a companhia é hoje a segunda maior fabricante de turbinas eólicas do país, com 22% de participação de mercado. “Temos 3,1 GW de capacidade instalada de turbinas, e esse número deve aumentar, considerando as vantagens da fabricação local de turbinas eólicas”, prevê Garcia. Ele também destacou que a turbina SG 3.4-132 recebeu a certificação do BNDES Finame, no início de 2019, garantindo aos compradores a oportunidade de obter financiamento competitivo do banco de desenvolvimento federal.
Com 15,1 GW de potência eólica instalada, o Brasil é o mercado mais avançado da América Latina para a fonte, de acordo com o relatório mais recente do Global Wind Energy Council, que também destaca que o país está no caminho certo para o crescimento estável até 2023. No primeiro semestre de 2019, a Bahia se tornou o estado com a maior capacidade instalada nesse recurso renovável. Para atingir esse marco, foram investidos R$ 13,7 bilhões em 10 anos. Além disso, foram criados mais de 40 mil empregos diretos durante a fase de construção dos 147 parques eólicos em operação. Essas usinas têm capacidade instalada de 3.730 MW e beneficiam 23 cidades do estado.
Paulo Guimarães, superintendente de Atração de Investimentos e Fomento ao Desenvolvimento Econômico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia, explica que a energia renovável é um dos setores econômicos mais importantes para o governo do estado, e que a Siemens Gamesa é um dos principais agentes deste setor. “Esse novo aporte aumentará a competitividade da Bahia para atrair novos projetos de energia eólica”, resumiu.

Fonte: Max Marduque – Técnico em Energias Renováveis

Compartilhe

Deixe seu comentário