23 jul 2020
16 jul 2020
10 jul 2020
02 jul 2020

ALMACO mapeia setor de compósitos durante pandemia

Em maio, produção caiu 31,6%

São Paulo, SP – Ao longo das últimas semanas, a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) promoveu uma pesquisa qualitativa para mapear os danos causados até agora pela pandemia de Covid-19 ao setor brasileiro de compósitos. Participaram do levantamento empresas de diversos elos da cadeia produtiva do material, um tipo de plástico de alta performance largamente consumido pelas indústrias de transportes, construção civil e geração de energia, entre outras.

Em maio de 2020, o volume de produção das empresas ouvidas pela ALMACO caiu, em média, 31,6% se comparado ao desempenho de igual período do ano passado. Para junho, a projeção é de um encolhimento de 27,8% e, levando em consideração todo o ano, a estimativa aponta para uma diminuição de 17,2% da atividade produtiva.

Em relação às reduções de jornada de trabalho e salário, 71,4% das empresas afirmaram que recorreram a esses dispositivos. Dos participantes da pesquisa, 42,8% efetuaram demissões desde que teve início a pandemia.

“Neste momento delicado que estamos atravessando, a associação entende que deve fortalecer ainda mais o seu papel de fonte de informações para o mercado”, afirma Erika Bernardino Aprá, presidente da ALMACO.

Em 2019, o setor brasileiro de compósitos emplacou o terceiro ano seguido de crescimento, com um faturamento de R$ 2,8 bilhões, cifra 5,6% superior à registrada no período anterior. Em volume, o salto foi de 8,3%, totalizando 218 mil toneladas consumidas.

#####

Sobre a ALMACO

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br.

Compartilhe
26 jun 2020

Parceria entre Marbocote e FCI amplia opções de desmoldantes no Brasil

Produtos são consumidos por dezenas de setores, a exemplo de pneumáticos, fundição, plásticos, madeira, borracha, poliuretano e compósitos

Barueri, SP – Iniciada em 2016, a parceria entre a brasileira FCI e a inglesa Marbocote, ambas fabricantes de desmoldantes, chega agora a um dos pontos mais altos. A Marbocote acaba de inaugurar uma unidade em Valinhos (SP), a primeira fora do Reino Unido. Com isso, nacionalizará as resinas usadas como bases dos desmoldantes. A FCI, que fabricava os produtos da Marbocote sob licença, deixará de importar as principais matérias-primas, o que resultará em redução de custo e, naturalmente, maior poder de negociação com os seus clientes.

“Apesar da crise causada pela pandemia, estamos bastante otimistas. Já vínhamos obtendo bons resultados, mas agora, com o acesso local às resinas, conseguiremos oferecer ao mercado brasileiro opções de desmoldantes que combinam qualidade reconhecida globalmente e viabilidade em termos de custos”, comenta Ana Clara Cordeiro, diretora comercial da FCI.

De acordo com Ian Snowdon, diretor da Marbocote, a unidade de Valinhos será dedicada ao desenvolvimento de produtos, com foco sobretudo no mercado automotivo. “Enxergamos grandes oportunidades no Brasil. Somada à planta já operada pela FCI, passaremos a ter um hub de produção de desmoldantes no país com estrutura e tecnologia globais”.

Na mira da FCI, detalha Ana Clara, aparecem sete principais segmentos de mercado: fundição, poliuretano, borracha, pneumáticos, madeira, plásticos e compósitos. “De saída, oferecemos um portfólio com 150 desmoldantes, entre semipermanentes, isentos de silicone, à base de água ou solvente. No entanto, a fabricação local nos permite customizar quantas formulações forem necessárias”, salienta.

A depender do volume, a comercialização dos desmoldantes da FCI acontece através da Redelease, tradicional distribuidora de produtos químicos, com destacada atuação no segmento de compósitos – um tipo de plástico de alta performance. “Temos um histórico de trinta anos de fornecimento de especialidades, e os desmoldantes semipermanentes são um dos principais exemplos de produtos com esse perfil”, afirma Rubens Cruz, sócio-diretor da Redelease.

**********


Sobre a FCI
Situada em Barueri (SP), a FCI é uma empresa especializada na fabricação de desmoldantes e produtos anticorrosivos, bem como no fornecimento de adesivos estruturais. São especialidades químicas consumidas por indústrias que processam diversos tipos de materiais, com destaque para borracha, metal, pneumáticos, compósitos e termoplástico. Para saber mais, acesse www.fci.ind.br.

Sobre a Marbocote
Líder global em desmoldantes, a Marbocote (Middlewich, Inglaterra) fabrica e distribui uma ampla gama de agentes desmoldantes de alta tecnologia. Seus principais consumidores são os segmentos de moldagem de compósitos e borracha. Para mais informações, acesse www.marbocote.co.uk.

Sobre a Redelease
Fundada em 1990, a Redelease é uma das maiores distribuidoras de especialidades químicas do Brasil. Seu portfólio é formado por mais de mil itens, entre resinas termofixas, reforços mecânicos (fibras de vidro, por exemplo), desmoldantes semipermanentes, adesivos estruturais, peróxidos orgânicos e tintas de alta performance. Com sede administrativa em Barueri, a Redelease conta com onze unidades licenciadas (Redecenter) distribuídas nas cidades de São Paulo, Sorocaba, Campinas, Ubatuba, São José do Rio Preto, Volta Redonda, Joaçaba, Joinville e Chapecó. Para mais informações, acesse www.redelease.com.br.

Compartilhe
25 jun 2020
18 jun 2020
11 jun 2020
04 jun 2020
28 Maio 2020

Como a Agrale reduziu custos na fabricação de peças em fibra de vidro

Durante a feira FEIPLAR + FEIPUR de 2018 organizada pela ARTSIM, a empresa fabricante de tratores e carrocerias de Caxias do Sul, AGRALE, veio a público mostrar os resultados da parceria de 3 anos com a Alan Harper Compósitos para a transformação de sua produção industrial dos processos de RTM-Light e SPRAY UP mudando para o processo de fabricação com membranas de silicone ALAN HARPER.

Nessa apresentação o Me. Leandro Fin da Silva, da engenharia de processos da Agrale, mostrou 6 exemplos de cases reais direto do chão das fabricas revelando todas as vantagens e benefícios do sistema de fabricação de compósitos por VPI (Infusão por pressão de vácuo) com membranas de silicone Alan Harper (peles de silicone).

Os tópicos abordados por Me. Leandro foram as diferenças em porcentagem observadas nos principais pontos do processo de fabricação e como as membranas de silicone trouxeram resultados financeiros e benefícios ambientais, de maneira fácil e rápida, para satisfação da diretoria e também da equipe.

Foi discutido ao longo dos 6 cases apresentados pela Agrale o resultado obtido na troca do processo produtivo dos antigos RTM-light e Spray-Up para a moderna fabricação com membranas de silicone, focando nos 6 principais recursos aos quais obtemos benefícios imediatos, diretos e rentáveis com a mudança de processo: 

1.    Área – Necessidade de espaço na planta produtiva durante o processo da peça;

2.    Custo – Custo direto da peça;

3.    Tempo – Quantidade de mão de obra necessária para um ciclo de produção;

4.    Resina – Consumo de resina de um processo em comparação a outros;

5.    Ferramentas – Necessidade de moldes, contramoldes e dispositivos de terminação;

6.    Investimento – Custo inicial dos moldes entre processos;

Nos comprometemos em criar vídeos com conteúdo relevantes à nossa indústria,  achamos valido trazer de volta a vida essa apresentação de nosso tão estimado cliente, em um bate papo de maneira descontraída, sempre tentando compartilhar resultados e aprendizados com nossos amigos e clientes!

O conteúdo dito por nós da Alan Harper Compósitos, nesse caso André Antunes e Leonardo Trevisan é de autoria própria e a Agrale não deve ser responsabilizada por nada contido nele a não ser a veracidade nos slides da apresentação.

Ficou interessado em reduzir os custos e ganhar tempo?

Assista ao vídeo completo (https://www.youtube.com/watch?v=kEoGKerdfF0), e caso também queira reduzir custos e ganhar tempo, podemos te ajudar!
Entre em contato pelo nosso whatsapp (+55 15 988 080 789) ou pelo nosso e-mail falacomigo@ahcomposites.com .

FONTE: Alan Harper Compósitos

Compartilhe

© 2017 ALMACO. Todos os direitos reservados.

Click Me