19 jun 2019

Ashland conclui testes de Derakane™ Signia™ no Brasil

Nova versão da icônica família de resinas éster-vinílicas começará a ser vendida regularmente no país em julho

Planta química: aplicações de Derakane™ Signia™ concentram-se em ambientes altamente corrosivos

Apresentada oficialmente pela Ashland ao mercado brasileiro em novembro passado e testada ao longo dos últimos meses por diversos transformadores locais, a resina éster-vinílica Derakane™ Signia™ promete ser a grande atração de 2019 do segmento de compósitos.

Os primeiros lotes do produto – é a versão mais recente da icônica família Derakane™, sinônimo de combate à corrosão em todo o mundo desde 1965 –, serão comercializados na primeira quinzena de junho, e o fornecimento regular está agendado para o início do mês seguinte, avisa Alexandre Jorge, gerente de vendas e produtos da Ashland.

“Os testes foram feitos em fabricantes de tanques e equipamentos especiais atendidos diretamente pela Ashland e em consumidores de resinas éster-vinílicas que integram a carteira de clientes dos nossos distribuidores. Em ambos os casos, os resultados foram muito positivos”, comenta.

Em primeiro lugar, chamou a atenção dos transformadores a possibilidade de fabricar laminados espessos sem as obrigatórias paradas para evitar que a peça empene, em função do natural aumento de temperatura gerado pela cura da resina. Uma das empresas, por exemplo, fabricou o fundo de um tanque de 2,5 m de diâmetro em cinco dias, quando normalmente levaria de 12 a 15 dias.

“A distorção gerada pela Derakane™ Signia™ aproxima-se de zero, o que elimina a necessidade de retrabalhos para ajustar o paralelismo de flanges, conexões e demais peças com elevadas espessuras”, observa Evaldo Mota, gerente de desenvolvimento de negócios da Ashland.

Os transformadores também destacaram a melhor adesão secundária garantida pela resina, característica que dispensa o lixamento do substrato para receber uma nova camada. “É uma etapa a menos de trabalho, por isso reduz o custo com mão de obra e material, além de diminuir a geração de resíduos”.

Sistema de identificação

O baixo índice de espumação de Derakane™ Signia™ chamou igualmente a atenção das empresas que fizeram parte dos testes. Problema relativamente comum das resinas éster-vinílicas, a espumação implica no surgimento de espaços vazios no laminado e, em decorrência, na diminuição da resistência mecânica da peça final.

Por fim, a sensível queda na emissão de estireno da nova resina – 25-35% inferior à da formulação convencional, de acordo com os ensaios feitos pela Ashland nos EUA – foi ressaltada por todos os transformadores que aceitaram testar o produto. Além de diminuir o odor e melhorar o ambiente de trabalho, a baixa emissão é sinônimo de maior rendimento da resina.

“Somam-se a esses benefícios o sistema exclusivo de identificação presente na Derakane™ Signia™, que permite confirmar o seu uso em qualquer equipamento fabricado, e a estabilidade de estocagem ampliada em 50% na comparação com a versão anterior”, ressalta Mota.

INEOS Enterprises
Em novembro de 2018, a Ashland anunciou o acordo definitivo de venda do negócio de compósitos para a INEOS Enterprises, em uma transação avaliada em US$ 1,1 bilhão. Espera-se que a operação seja concluída em 01/07/2019.

“A despeito da venda para a INEOS, todos os fornecimentos, testes e projetos seguem inalterados, assim como as negociações e acordos feitos com os nossos clientes”, conclui Jorge.

Para mais informações, acesse www.ashland.com.

® Registered trademark, Ashland or its subsidiaries, registered in various countries
™ Trademark, Ashland or its subsidiaries, registered in various countries

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe
30 maio 2019

Cursos ALMACO mês de Junho

Você quer aprender a trabalhar com resinas e fibras de vidro?

A ALMACO tem o curso ideal para você. Inscreva-se! Vagas limitadas!

25/06 – Processos de Saco de Vácuo, Infusão e MPF ( Moldagem com pele Flexível)

Inscrições:

Associados: R$ 330,00

Não associado: R$ 550,00

 

26/06 – Processos RTM e RTM Light

 Inscrições:

Associados: R$ 330,00

Não associado: R$ 550,00

 

27 e 28/6 – Moldes para Processamento Produtivo de Materiais Compósitos

Inscrições:

Associados: R$ 800,00

Não associado: R$ 1.000,00

 

Informações:

Horário: 8h30 às 17h00

Local: ALMACO/CETECOM – Av. Prof Almeida Prado, 532 – térreo – prédio 31 – sala 11 – Cidade Universitária – SP

Para inscrição ou mais informações entre em contato conosco através do tel: (11) 3719-0098, ou pelo e-mail: marketing@almaco.org.br

 

Fonte: ALMACO

Compartilhe
30 maio 2019

Cronograma de cursos ALMACO

Centro Tecnológico de Compósitos é resultante da parceria entre ALMACO e IPT

A ALMACO busca oferecer aos seus associados e ao mercado novas soluções e oportunidades para fomentar o mercado de compósitos. O trabalho de divulgação que a ALMACO vem fazendo nos últimos anos tem como principais objetivos manter o nosso crescimento de forma sustentável e sempre criar novas oportunidades de negócios. Em alguns mercados, infelizmente, ainda persiste um forte desconhecimento sobre os materiais compósitos. Por isso, pretendemos levar cada vez mais conhecimento e fazer com que as nossas soluções e aplicações sejam discutidas e, sobretudo, especificadas nos mais variados projetos.Nos preocupamos com temas como sustentabilidade, reciclagem, disposição de resíduos, escassez de matéria-prima, qualificação de mão de obra e o desconhecimento dos órgãos especificadores e certificadores. Esta combinação de fatores pode prejudicar a nossa competitividade e comprometer a especificação em projetos importantes.
Confira no link abaixo o cronograma dos cursos ALMACO 2019.

Cursos Técnicos

Inscrições abertas! Para mais informações entre em contato conosco através do telefone (11) 3719-0098 ou pelo e-mail: marketing@almaco.org.br

Confira, a seguir, a agenda de cursos.

Resultante da parceria entre a ALMACO e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o CETECOM é o principal organismo voltado à realização de cursos teóricos e práticos sobre compósitos da América Latina.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail marketing@almaco.org.br

Combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro – os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.
Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br

Fonte: ALMACO

Compartilhe
30 maio 2019

Crédito subsidiado continuará para setores geradores de emprego, diz presidente do BNDES

Joaquim Levy defendeu investimentos em empresas de energia eólica e disse que expectativa é que o setor comece a pensar seriamente na exportação, durante o Brazil Windpower em SP.

O presidente do BNDES, Joaquim Levy, disse nesta quarta-feira (29), durante o evento Brazil Windpower, em São Paulo, que a instituição continuará concedendo créditos de longo prazo para empresas de setores que geram empregos e são essenciais para o crescimento do PIB.
“Hoje o Brasil com as reservas que tem e a melhora macroeconômica, a expectativa é que você tenha taxas de juros mais baixas. A gente vai continuar apoiando o crédito de longo prazo, especialmente para setores geradores de emprego e essenciais para o crescimento do PIB e que fazem parte da inovação tecnológica e com pegada de sustentabilidade”, disse, citando as empresas do setor de energia eólica.
Segundo Levy, o crédito subsidiado ainda “sofre no processo”, mas desde 2015, com a queda da taxa de juros e a convergência da Selic e a TLP (taxa de longo prazo), “abriu-se a possibilidade de uma economia mais saudável e democrática. O próprio trabalho com a reforma da Previdência tem esse objetivo”, disse.
Dados do BNDES mostram que o setor eólico recebeu R$ 10,8 bilhões em desembolsos do banco entre 2017 e 2018, contra R$ 9,5 bilhões entre 2015 e 2016.
Já o setor hidrelétrico recebeu R$ 1,3 bilhão, contra R$ 8,7 bilhões nos mesmos períodos.

Exportação

Levy disse que a expectativa é que o setor de energia eólica comece a pensar seriamente na exportação. O presidente do BNDES explicou que hoje a política de conteúdo local não é um obstáculo à eficiência do setor nem ao custo de projetos ou da energia.
No ano passado, o BNDES reduziu de 60% para 30% a obrigatoriedade de componentes, serviços e mão de obra nacionais para que os fabricantes consigam financiamento da instituição.
“Agora precisa focar se a indústria é suficientemente robusta e consegue ser competitiva lá fora.”

Fundo para atrair investidores

Levy anunciou ainda o lançamento de um fundo dentro do BNDES para atrair investidores.
“Com alguns créditos você pode criar um fundo de maneira que atraia investidores. Estamos até trazendo alguns gestores profissionais para poderem trazer isso dentro de uma perspectiva de mercado de capital. Você passa o crédito, passa o risco, passa tudo pro mercado. Isso poderá ocorrer tanto dentro de créditos individuais como dentro de um fundo”, declarou.

FONTE: Site Globo.com

Compartilhe
30 maio 2019

LORD participa de simpósio da SAE sobre novos materiais e mobilidade

Empresa também estará presente no Dia da Criatividade, ação que acontecerá no Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), em paralelo ao simpósio

A LORD, subsidiária da norte-americana LORD Corporation e companhia especializada na fabricação de adesivos estruturais, é uma das participantes do 12º Simpósio SAE Brasil de Novos Materiais e Aplicações na Mobilidade, evento que acontece nos dias 04-05/06, no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo (SP).
No segmento do simpósio dedicado a analisar as técnicas de junção – dia 05/06, a partir das 08h30 –, Gabriel Matos, assistente técnico de vendas da LORD, apresentará a palestra intitulada “Adesivos estruturais: uma ferramenta para redução de peso – cases de sucesso”.
“Os adesivos estruturais são facilmente adaptáveis aos processos de produção das montadoras, atendendo a requisitos como agilidade na aplicação e cura sob temperatura ambiente. Também ajudam a reduzir o peso dos veículos, distribuem de maneira mais uniforme as tensões e aprimoram os aspectos estéticos das peças unidas”, afirma Gabriel Matos, assistente técnico de vendas da LORD.
Os interessados em participar do simpósio da SAE devem acessar
http://portal.saebrasil.org.br/portal/evento/12o-simposio-sae-brasil-de-novos-materiais-e-aplicacoes-na-mobilidade—secao-sao-paulo.

Em paralelo ao 12º Simpósio SAE Brasil, acontecerá no dia 04/06, no Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o Dia da Criatividade, ação capitaneada pela LORD, em parceria com as empresas Owens Corning e Ashland. Mantido pelo IPT, em conjunto com a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO), o CETECOM é o principal espaço da América Latina dedicado a apresentações sobre os compósitos, um tipo de plástico de alta performance largamente consumido pelas montadoras.
“O Dia da Criatividade contará com sessões práticas, nas quais haverá demonstrações de fabricação e adesivação de peças de compósitos”, informa o assistente técnico de vendas da LORD.

Sobre a LORD
Com matriz em Cary (EUA), a LORD, subsidiária local da norte-americana LORD Corporation, atua no Brasil desde 1972 – mantém uma unidade produtiva em Jundiaí (SP). Fundada em 1924, é uma companhia especializada no desenvolvimento de adesivos e coatings, bem como sistemas de controle de vibração e tecnologias de sensoriamento para os mercados automotivo, aeroespacial e defesa, óleo/gás e industrial.
A LORD Corporation é uma empresa diversificada de tecnologia e fabricação que desenvolve adesivos altamente confiáveis, revestimentos, dispositivos de gerenciamento de movimento e tecnologias de detecção que reduzem significativamente os riscos e melhoram o desempenho dos produtos. Por 95 anos, a LORD trabalhou em colaboração com seus clientes para fornecer soluções inovadoras aos setores de petróleo e gás, aeroespacial, defesa, automotivo e industrial. Hoje, a companhia emprega cerca de 3 mil funcionários em 26 países e opera 19 fábricas e 10 centros de P&D em todo o mundo. A LORD também promove ativamente as competências da educação STEM e muitas outras iniciativas de envolvimento com a comunidade. Para mais informações, visite www.lord.com.

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe
16 maio 2019

Confira a agenda de cursos do CETECOM 2019

Centro Tecnológico de Compósitos é resultante da parceria entre ALMACO e IPT

Interessados em aprender técnicas de moldagem de compósitos e demais assuntos relacionados ao material – um tipo de plástico de alta performance – poderão participar, até o final do ano, de mais de 15 cursos oferecidos pelo Centro Tecnológico de Compósitos (CETECOM).

Os temas vão desde os processos de laminação manual, aos mais complexos, como infusão, RTM, até tecnologias usadas de fibras de elevado de alto desempenho.

“As aulas do Cetecom são bem abrangentes. Dessa forma, conseguimos atender desde aquele que está começando a se interessar pelos compósitos até o profissional mais experiente.

Confira, a seguir, a agenda de cursos.

 

 

Resultante da parceria entre a ALMACO e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o CETECOM é o principal organismo voltado à realização de cursos teóricos e práticos sobre compósitos da América Latina.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail marketing@almaco.org.br

Combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro – os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br

 

Fonte: ALMACO

 

 

 

 

 

Compartilhe
16 maio 2019

ALMACO promoveu evento em São José dos Campos

1º Encontro Regional de 2019 da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos aconteceu no dia 09/05, em laboratório do IPT especializado em estruturas leves

No dia 09/05, em São José dos Campos (SP), a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) promoveu o 1º Encontro Regional de 2019. O evento foi realizado no Núcleo de Estruturas Leves (LEL), laboratório que pertence ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) – é o único na América do Sul dedicado a pesquisas aplicadas aos processos de fabricação de estruturas leves, a exemplo dos compósitos.

Na parte da manhã, 25 participantes visitaram as dependências do LEL e, após o almoço, cerva de 62 participantes de 35 empresas acompanharam seis palestras. “Nada melhor do que apresentar trabalhos sobre o que há de mais avançado em termos de matérias-primas e processos de fabricação de compósitos em um espaço tão bem estruturado e moderno quanto o LEL”, afirma Erika Bernardino Aprá, presidente da ALMACO.

 

Conheça abaixo as empresas participantes:

 

Abendi
Advantage Aero
Alan Harper Composites
Alestis do Brasil
Artco Consultoria
ArtSim
BYK Marketing & Technical Service
Centro  Tecnológico da Marinha em São Paulo
Colormix
Embraer
Fatec Pindamonhangaba-SP
Feitoglass
Fibertex Louveira Produtos Têxteis Ltda
Fmemayo
Heatcon Brazil
IPEN-Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares
Jushi
LORd Industrial
Novapol
Novascott Especialidades Químicas LTDA
Núcleo de Estruturas Navais e Oceânicas (NEO)
Petrobrás
Purcom
Rallc Usinagem & Composto
Redelease
Reichhold
Saertex
Serviços Náuticos e Técnicos
Subiter
Syssoft
Tecnofibras
Tecplas Ind. e Com. LTDA
Texiglass

 

O evento teve como patrocinadores as empresas: LORD, Owens Corning, Purcom e Saertex. ALMACO agradece o apoio.


Fonte: ALMACO

Compartilhe
16 maio 2019

Cursos ALMACO mês de Maio

Você quer aprender a trabalhar com resinas e fibras de vidro?

A ALMACO tem o curso ideal para você. Inscreva-se! Vagas limitadas!

28/05 – Introdução aos Compósitos Poliméricos Termofixos

Inscrições:

Associados: R$ 220,00
Não associado: R$ 330,00

29/05 – Processo de Laminação Manual

Inscrições:

Associados: R$ 330,00
Não associado: R$ 550,00

Informações:

Horário: 8h30 às 17h00
Local: ALMACO/CETECOM – Av. Prof Almeida Prado, 532 – térreo – prédio 31 – sala 11 – Cidade Universitária – SP

Para inscrição ou mais informações entre em contato conosco através do tel: (11) 3719-0098,
ou pelo e-mail: marketing@almaco.org.br

Fonte: ALMACO

Compartilhe
16 maio 2019

Compósitos devem crescer pelo terceiro ano seguido

Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) prevê um salto de 5,5% no faturamento de 2019, totalizando R$ 2,797 bilhões

Em 2019, o setor brasileiro de compósitos deve emplacar o terceiro ano consecutivo de crescimento, com um faturamento estimado de R$ 2,797 bilhões, alta de 5,5% em comparação ao resultado do período anterior. Esse é o principal dado do mais recente monitoramento feito pela Maxiquim, consultoria contratada pela Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO).
“Notamos uma tendência de alta na maioria dos segmentos consumidores do material, com destaque para a indústria automotiva, representada pelas montadoras de veículos pesados e agrícolas, e de energia, na qual ocorre uma intensa substituição da madeira e concreto usados em cruzetas e postes pelos compósitos, devido ao seu baixo peso e resistência à corrosão”, resume Erika Bernardino Aprá, presidente da ALMACO.
Em contrapartida, o mercado de construção segue andando de lado, muito em função da dificuldade de obtenção de crédito imobiliário. “Já os investimentos em infraestrutura dependem de projetos governamentais, que permanecem escassos. Isso impacta diretamente nas vendas, por exemplo, de tubulações de compósitos”.
Com uma fatia de 35% do consumo local de compósitos de poliéster, a construção civil aparece à frente de transporte (30%), corrosão/saneamento (19%) e náutico (3%), entre outros. Já a geração de energia eólica responde por 90% da demanda por compósitos de epóxi. O setor de petróleo aparece em segundo lugar, com 5%.
De acordo com o levantamento da Maxiquim, em 2019 serão consumidas 210 mil toneladas de compósitos, volume 4,5% superior ao anotado em 2018. A geração de emprego, por sua vez, deve crescer 3,7%, totalizando 65 mil vagas.
“Caso se confirmem essas previsões, será o nosso terceiro ano seguido de balanço positivo. Então, em dezembro, poderemos dizer que, enfim, a curva de crescimento se inverteu definitivamente. Agora, cabe ao governo colaborar com a indústria e fazer as reformas necessárias para que o Brasil volte a ser um ambiente favorável aos investimentos privados”, conclui a presidente da ALMACO.
Sobre a ALMACO
Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.
Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe
16 maio 2019

Tecniplas exporta tanques de PRFV para a Argentina

Reservatórios serão instalados na planta de celulose da Arauco

A Tecniplas, referência brasileira em tanques e equipamentos especiais em compósitos de PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), acaba de despachar dois reservatórios para a Argentina. Os tanques serão instalados na fábrica de celulose que a Arauco opera na cidade de Puerto Esperanza, na Província de Misiones.
Com 13,5 m de altura e 4,5 m de diâmetro, o tanque de maior dimensão foi projetado para armazenar até 200 m³ de dióxido de cloro – pressão de -8″ WG (vácuo). “Um dos seus diferenciais é o fato de dispor de isolamento térmico garantido por chapas de poliuretano”, detalha Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas.
Já o segundo reservatório – 11,3 m de altura, 4 m de diâmetro e 135 m³ de capacidade – será utilizado no armazenamento de cloro, solução de clorato e hipoclorito de sódio a uma temperatura de 80 ºC e sob pressão atmosférica. “Seu projeto construtivo contempla uma inclinação interna de 2%, o que possibilita o esgotamento rápido e seguro do tanque”.
Ambos foram produzidos em peça única, a despeito das dimensões, e contam com uma série de bocais e acessórios, o que tornou ainda mais complexa a fabricação. Fornecidos com data books e memórias de cálculo estrutural, os reservatórios fabricados pela Tecniplas estão aptos a resistir a cargas de vento de até 45 m/s (162 km/h), conforme a ABNT NBR 6123.
Durante a fabricação dos tanques, lembra Rossi, a Arauco fez uma série de inspeções na fábrica da Tecniplas em Cabreúva, no interior de São Paulo. “Nosso processo fabril e sistema de qualidade foram aprovados sem ressalvas pela Arauco, que nos homologou como fornecedora estratégica das plantas situadas na Argentina e no Chile”. De capital chileno, a empresa tem equipamentos da Tecniplas operando ininterruptamente desde a década de 1990.
Em 2018, as exportações responderam por 22% do faturamento da Tecniplas. Para este ano, Rossi acredita que a fatia tende a ser ainda maior, em função dos grandes projetos que estão para acontecer na América Latina. “Daí levando em conta não só o setor de celulose e papel, mas também de mineração e químico”, completa.

Sobre a Tecniplas
Fundada em 1976, a Tecniplas é a maior fabricante brasileira de tanques e equipamentos especiais de compósitos em PRFV (plástico reforçado com fibras de vidro). Situada em Cabreúva (SP), onde mantém uma fábrica de 32 mil m², a Tecniplas atende os setores de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico. Para mais informações, acesse www.tecniplas.com.br

SLEA Comunicação

Compartilhe

© 2017 ALMACO. Todos os direitos reservados.

Click Me