15 mar

Otimistas, apesar de tudo

O início deste ano tem se mostrado bastante desafiador para o setor brasileiro de compósitos. Vivemos um período de altas generalizadas nas cotações dos insumos e, em alguns casos, até de escassez de alguns deles. Por mais que o Brasil não seja formador de preços na cadeia petroquímica, essas oscilações sempre geram desgastes, pois o repasse está longe de ser uma tarefa das mais fáceis.

Em paralelo, com o agravamento da pandemia e a morosidade na vacinação em massa, vemos preocupados os efeitos de mais um período de restrições que, naturalmente, impactarão de forma negativa a economia.

Mesmo diante desse cenário, permanecemos otimistas com o desempenho da nossa indústria em 2021, ainda que seja impossível, por ora, determinar um percentual de evolução. O aquecimento da demanda deve vir principalmente dos mercados de construção civil, transportes, geração de energia eólica e, mais atrás, infraestrutura, esse bem mais dependente de liberação da escassa verba governamental.

O ano passado também foi muito difícil e, mesmo assim, graças à versatilidade dos compósitos e a sua presença em centenas de mercados, foi possível fechar o ano de forma equilibrada.

Assim como a maioria dos setores, vivemos em 2020 uma verdadeira montanha russa. Depois de dois primeiros meses excelentes, a pandemia atingiu em cheio as empresas que representamos – mais de 70% recorreram a reduções de jornadas e cerca de 40% a demissões. Até que, a partir de julho, o cenário mudou. Foi uma recuperação tão forte que surpreendeu inclusive os mais otimistas.

Uma das maiores evidências dessa subida abrupta das vendas de compósitos pôde ser ilustrada pelo giro das piscinas. Presas em casa, as pessoas passaram a investir em opções domésticas de lazer, e as “piscinas de fibra” viraram um sucesso absoluto de vendas.

ALMACO 2021

Em relação às atividades da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO), o distanciamento social infelizmente ainda impede a realização de cursos presenciais. Mas essa tem sido a única mudança em nossa rotina, hoje conduzida quase que integralmente de forma remota.

Todos os nossos comitês mercadológicos continuam operando de forma regular, a nossa presença nas redes sociais está cada vez mais intensa – a página da ALMACO no Instagram entrou no ar no início do mês –, a realização de webinars técnicos e da série “Compósitos em Foco” de entrevistas segue normalmente e a primeira pós-graduação em compósitos e polímeros de São Paulo está prevista para acontecer, em breve, de forma online até o término da pandemia. Fora todas as parcerias e ações em conjunto com entidades correlatas que continuam a todo o vapor.

Enfim, seguimos confiantes de que chegaremos ao final de 2021 contabilizando um ano de muitos desafios, mas também de muitas conquistas.

Erika Bernardino Aprá é presidente da ALMACO

Compartilhe