18 abr

ALMACO divulgou na França setor brasileiro de compósitos

Representantes da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos participaram de eventos paralelos à feira JEC Show, em Paris

A Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) participou no mês passado, em Paris, de eventos paralelos à JEC World, maior feira global do setor de compósitos.
No dia 13/03, Marcelo de Aguiar, vice-presidente da ALMACO, fez uma apresentação sobre o mercado brasileiro em um encontro que reuniu representantes de associações de compósitos de diversas partes do mundo. A organização do evento esteve a cargo da European Composites Industry Association (EuCia), entidade baseada em Bruxelas.
“Foi uma excelente oportunidade para falar não só a respeito do nosso mercado, mas também sobre o novo cenário econômico brasileiro, e para trocar experiências com outras associações”, comenta.
Conselheiros da ALMACO ainda representaram a entidade em uma reunião na embaixada brasileira em Paris. Agendado para o dia 15/03, o encontro teve como objetivo promover os produtos brasileiros e atrair investimentos.

Em 2018, o setor brasileiro de compósitos registrou um faturamento de R$ 2,653 bilhões, alta de 2,1% em comparação ao ano anterior. O consumo de matérias-primas no período alcançou 201 mil toneladas, volume 2,6% maior do que o anotado em 2017. Para este ano, a ALMACO projeta um faturamento de RS$ 2,797 bilhões (+5,5%) e um consumo de 210 mil toneladas (+4,5%).

Sobre a ALMACO

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.
Para mais informações, acesse www.almaco.org.br.

 

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe

Deixe seu comentário