14 mar 2019

Curso Técnico ALMACO – Fibras de Elevado Desempenho em Materiais Compósitos Avançados – 26 e 27 de Março

Carga-horária: 16 horas (2 dia) com atividades de ensino teórico e prático

Público Alvo: Estudantes de áreas técnicas, Profissionais voltados ao segmento de Engenharia e Dimensionamento Estrutural de Produtos, Especialistas em Processos Plásticos, Oficinas de construção, reparos e preparação de veículos customizados “Tunning”, e de competição etc.

Propósito: Difundir as tecnologias de aplicações por meio das Fibras de Reforços de elevado desempenho a esforços mecânicos a exemplo

das Fibras de Vidro de alto módulo “S” e “H, Fibras de Basalto, Fibras de Amidas Aromáticas Aramida e Fibras de Carbono

Docente: Waldomiro Moreira

 

Conteúdo Programático:

 

  • Introdução Materiais Compósitos Poliméricos Termoplásticos, Termofixos e Elastoméricos
  • Apresentação de materiais de reforços e tabelas comparativas Custo/Desempenho
  • Fibras de Vidro “E”
  • Fibras de Vidro de elevado módulo de elasticidade “S” e ”H”
  • Fibras de Basalto
  • Fibras de Amidas Aromáticas “Aramidas” Kevlar® ,Twaron® etc.
  • Fibras de Carbono de Módulos de Elasticidade elevados e intermediários
  • Fibras Combinadas na forma de Tecidos, Fitas etc
  • Ensaios Mecânicos de Validação / Aprovação
  • Processos de Moldagem com Fibras de Reforços de elevado desempenho (Laminação Manual, “Prepegs” – Pré-Impregnados

Termoplásticos e Termofixos, Saco de Vácuo Vacuum-Bag, Infusão a Vácuo, RTM (Moldagem por Transferência de Resina) e Compressão

a Quente SMC – Composto de Moldagem e Prepregs Carbono / Termoplásticos Poliamida e Acrílico.

  • Aplicações dos Reforços de Elevado Desempenho.
  • Técnicas de Manutenção e Reparo de Ferramental para moldagem de Compósitos.

 

 

 

Inscrição:

 

Associados: R$ 800,00

Não associado: R$ 1.000,00

Compartilhe
14 mar 2019

Ashland fornece no Brasil resinas para Engineered Stone e Solid Surface

À base de poliéster insaturado, resinas Polaris™ são referências globais em aplicações que combinam polímeros termofixos e cargas minerais

  
O mercado de construção lidera o consumo de compósitos no Brasil. Porém, ainda que existam centenas de aplicações do material no país, há nichos pouco explorados, caso das chapas de Engineered Stone (ES) e Solid Surface (SS) usadas em bancadas, pias, pisos e revestimentos de construções de alto padrão. Atenta a esse cenário, a Ashland, líder global em resinas poliéster, passou a oferecer aos transformadores brasileiros de compósitos duas formulações de Polaris™, polímeros termofixos que são referências globais nos segmentos de ES e SS.

“À base de poliéster insaturado para cura a quente, as resinas Polaris™ apresentam altíssima capacidade de absorção de cargas minerais e elevados índices de dureza e resistência mecânica, além de maior estabilidade contra a ação dos raios UV”, detalha Márcia Cardoso, especialista técnica da Ashland.

As resinas Polaris™ estão sendo fabricadas na planta que a Ashland opera em Araçariguama, no interior de São Paulo, depois de uma bem-sucedida transferência de tecnologia da Europa – o processo envolveu o treinamento do time local e a aquisição de alguns equipamentos.

De acordo com Paulo Henrique Rodrigues, gerente de vendas e produto (resina poliéster) da Ashland, a fabricação local também pode ser um fator relevante para o sucesso dos negócios envolvendo os produtos da empresa para aplicações de ES e SS. “Com a ação antidumping em curso contra os fabricantes chineses, aumentaram as chances de outros países exportarem para os EUA, e o Brasil pode se beneficiar dessa situação”, comenta.

INEOS Enterprises

Em novembro passado, a Ashland anunciou o acordo definitivo de venda do negócio de compósitos para a INEOS Enterprises, em uma transação avaliada em US$ 1,1 bilhão. Espera-se que a operação seja concluída antes do final do segundo trimestre de 2019.

Para mais informações, acesse www.ashland.com.

® Registered trademark, Ashland or its subsidiaries, registered in various countries
™ Trademark, Ashland or its subsidiaries, registered in various countries

 

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe
14 mar 2019

ALMACO divulga na França setor brasileiro de compósitos

 
Representantes da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos participarão de eventos paralelos à feira JEC Show, que acontece nesta semana, em Paris


A Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) participa nesta semana, em Paris, de eventos paralelos à JEC World, maior feira global do setor de compósitos – acontece entre os dias 12 e 14/03.

Na quarta-feira (13), Marcelo de Aguiar, vice-presidente da ALMACO, fará uma apresentação sobre o mercado brasileiro em um encontro que reunirá representantes de associações de compósitos de diversas partes do mundo. A organização do evento está a cargo da European Composites Industry Association (EuCia), entidade baseada em Bruxelas.

“Trata-se de uma excelente oportunidade para falar não só a respeito do nosso mercado, mas também sobre o novo cenário econômico brasileiro. Será igualmente um espaço interessante para a troca de experiências com as outras associações”, ele comenta.

Conselheiros da ALMACO também representarão a entidade em uma reunião na embaixada brasileira em Paris. Agendado para a sexta-feira (15), o encontro tem como objetivo promover os produtos brasileiros e atrair investimentos.

Em 2018, o setor brasileiro de compósitos registrou um faturamento de R$ 2,653 bilhões, alta de 2,1% em comparação ao ano anterior. O consumo de matérias-primas no período alcançou 201 mil toneladas, volume 2,6% maior do que o anotado em 2017. Para este ano, a ALMACO projeta um faturamento de RS$ 2,797 bilhões (+5,5%) e um consumo de 210 mil toneladas (+4,5%).

 

Sobre a ALMACO

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br.

 
Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe

© 2017 ALMACO. Todos os direitos reservados.

Click Me