20 set 2018

Comunicado ao Mercado – Nasce uma aliança no mundo dos Compósitos

 

A AJB é uma empresa brasileira de Soluções em Compósitos com planta industrial em São José dos Pinhais (PR) e pertence as famílias Souza e Jeronimo.

Atua há 20 anos em diversificados segmentos (Construção Civil, Transporte, Agronegócio e Eólico) e é reconhecida por sua tecnologia, flexibilidade e agilidade.

Durante seis anos consecutivos, ganhou o TOP OF MIND DE COMPÓSITOS organizado pela ALMACO na categoria Moldes.

O seu foco por muitos anos foi a fabricação de moldes e meios de produção, mas, em 2015 decidiu criar uma divisão de produtos próprios.

Outra decisão foi criar uma aliança estratégica com a empresa G12 INNOVATION com objetivo de investir em inovação, novos nichos de mercado e principalmente na criação de soluções e serviços que possam acelerar os processos construtivos.

Esta estratégia gerou novas oportunidades, inclusive em uma das ferramentas de vendas que mais cresce no mundo que é o e-commerce.

Em setembro, a empresa passou a fazer parte da rede de parceiros do MadeiraMadeira, uma das maiores plataformas de vendas on-line do Brasil.

Todos estes movimentos geraram a necessidade da organização se fortalecer, buscar novas competências e principalmente se reinventar.

Esta reinvenção, inicia com a aquisição da participação na estrutura de capital da empresa, do empresário francês Damien Jacquinet de grande experiência nos segmentos de Compósitos e Inovação. Damien foi fundador da NIDA-CORE dos Estados Unidos, empresa ícone na fabricação de núcleos para estrutura sanduiche.

A partir outubro o mercado de Compósitos ganhará uma nova organização, com um modelo de negócio diferenciado e organizado em três unidades de negócios:

(1) Moldes, (2) Produtos Próprios e (3) Soluções em Compósitos para terceiros.

A nova AJB mudará sua estrutura de capital e seu modelo de gestão, mas manterá sua simplicidade, transparência e capacidade de criação.

 

Atenciosamente,

 

Francisco Jeronimo

Sócio Fundador AJB

 

Compartilhe
20 set 2018

Começa a pesquisa do Top of Mind da Indústria de Compósitos 2018

Organizada pela ALMACO, principal premiação do setor contempla 26 categorias

Desde o dia 13/09, a Destaque Business Research deu início à pesquisa que apontará os vencedores do Top of Mind da Indústria de Compósitos 2018. Criado em 2010 pela Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos, o Top of Mind é o principal prêmio do setor brasileiro de compósitos.
Por meio de votação eletrônica e espontânea, representantes da cadeia produtiva de compósitos e consumidores finais do material escolherão as empresas Top of Mind em 26 categorias, entre matérias-primas, processos, distribuição e inovação.
A cerimônia de premiação acontecerá no RUBAIYAT FARIA LIMA em São Paulo, no dia 05/11.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro – os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, bem como pela versatilidade. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de tanques, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus e aviões.

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br

 

Compartilhe
20 set 2018

Resina da Ashland faz parte de projeto inovador do mercado sucroalcooleiro

Aropol™ 70451 foi utilizada no tanque de transporte de vinhaça projetado pela Engcom e fabricado pela UPR

No final do mês passado, durante a Fenasucro, o mercado de álcool e açúcar conheceu o tanque de transporte de vinhaça projetado pela Engcom e produzido pela UPR. O equipamento – uma das principais atrações da feira, principalmente devido ao design diferenciado – foi produzido com a resina isoftálica Aropol™ 70451, polímero fabricado pela unidade de Araçariguama (SP) da Ashland, líder global em especialidades químicas. 

De acordo com Alexandre Jorge, gerente de vendas e produtos da Ashland, a resina Aropol™ 70451 apresenta um índice de alongamento de 3,5%, ideal para aplicações sujeitas a elevados níveis de torções. “Os tanques de transporte de vinhaça transitam somente nas usinas e quase sempre em estradas de terra, por isso é vital que a resina seja flexível”, afirma.

Outra característica importante da Aropol™ 70451 para a aplicação desenvolvida pela Engcom é a elevada resistência mecânica derivada da boa adesividade às fibras de vidro. Com isso, explica Evaldo Mota, gerente de desenvolvimento de negócios da Ashland, ocorre uma melhor distribuição das cargas oriundas da vibração ao longo do transporte. “Vale a pena destacar também a resistência química da resina, pois a vinhaça é altamente corrosiva, mesmo transportada a uma temperatura média de 60 ºC”, comenta.

O mercado sucroalcooleiro é importante para a operação da Ashland no Brasil, observa Jorge, sobretudo se essa tendência de aplicações mais sofisticadas tiver continuidade. “Enxergamos outros usos ‘engenheirados’ dos nossos produtos nas usinas, a exemplo de dornas de fermentação, abatedores de gases e tanques para a armazenagem e transporte de etanol”.


Design aumenta a estabilidade

O tanque de transporte criado pela Engcom promete tornar mais rápida, segura e eficiente a movimentação de vinhaça nas usinas. Seu formato de gota aumenta a estabilidade do transporte, pois o centro de gravidade é baixo. “Isso reduz drasticamente os riscos de tombamento do veículo. Assim, as viagens podem ser feitas em tempo menor, evitando que a usina tenha que adquirir vários tanques para transportar a mesma quantidade de vinhaça”, explica Arnaldo Gatto, diretor da Engcom.

Com capacidades que variam de 18 m³ até 36 m³, os tanques da Engcom podem ser acoplados a veículos (“cavalos”) já utilizados pelas usinas. O equipamento também está apto a transportar vinhaça concentrada, com densidade de até 1,4 kg/m³.

 

Fonte: SLEA Comunicação

 

Compartilhe
06 set 2018

LORD patrocina cinema itinerante em Jundiaí


Sessões do Cine Boa Praça acontecerão nos dias 14 e 15/09, no CECAP

Especialista no desenvolvimento de adesivos e coatings, a LORD, subsidiária local da norte-americana LORD Corporation, está patrocinando a edição de Jundiaí (SP) do Cine Boa Praça, projeto cultural que busca democratizar o acesso ao cinema por meio da exibição gratuita de sessões em praças de bairros carentes.

“Há alguns anos, a LORD desenvolveu um programa chamado ‘Cidadania Corporativa’, cujo objetivo é incentivar atividades socioculturais e reforçar o compromisso da empresa com a sociedade. O trabalho do Cine Boa Praça tem exatamente esse perfil, daí porque decidimos apoiá-lo”, afirma Amanda Paschoalini, supervisora de marketing da LORD. A empresa opera desde 1972 uma unidade produtiva no Distrito Industrial de Jundiaí, localizado no bairro do Engordadouro.

As sessões do Cine Boa Praça estão agendadas para os dias 14 e 15/09, a partir das 17h30, no CECAP. Serão apresentados dois filmes, “Viva – A Vida é uma Festa” e “Touro Ferdinando”, ambos baseados na discussão de como superar os preconceitos e aceitar as diversidades. Também estão programadas atividades culturais e brincadeiras, que têm como objetivo recriar as atmosferas das narrativas que rolam na tela. “Mais do que apenas assistir aos filmes, queremos que nosso público amplie seus repertórios culturais. Afinal, cinema também é conhecimento”, comenta Claudia Perrotta, uma das idealizadoras do Cine Boa Praça.

Sobre a LORD

Com matriz em Cary (EUA), a LORD atua no Brasil desde 1972. Fundada em 1924, é uma companhia especializada no desenvolvimento de adesivos e coatings, bem como sistemas de controle de vibração e tecnologias de sensoriamento para os mercados automotivo, aeroespacial e defesa, óleo/gás e industrial. Mais em www.lord.com

 

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe
06 set 2018

ALMACO lança Prêmio de Inovação


Iniciativa tem como objetivo gerar oportunidades reais de negócio


Referência na representação do setor de compósitos – um tipo de plástico de alta performance –, a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) anuncia o lançamento do Prêmio ALMACO de Inovação. A iniciativa tem como objetivo impulsionar projetos inovadores e, com isso, gerar oportunidades reais de negócios para as empresas brasileiras.

“A inovação é um dos caminhos mais inteligentes e estratégicos para superarmos o atual cenário desfavorável e voltarmos a crescer”, afirma Gilmar Lima, presidente da ALMACO.

Qualquer empresa ou centro de pesquisa pode concorrer inscrevendo produtos, tecnologias ou conceitos nas seguintes categorias: “Construção Civil e Infraestrutura”, “Transporte, Automotivo, Agronegócio e Náutico”, “Aeroespacial”, “Energias Renováveis” e “Novos Nichos de Mercado”.

“O Prêmio ALMACO de Inovação será uma vitrine para as empresas mostrarem as suas soluções não só no Brasil, mas em todo o mundo. Precisamos de espaços para lançar as novidades e, principalmente, encantar o mercado”, comenta Lima.

Os vencedores serão escolhidos por um júri independente formado por usuários finais dos materiais compósitos. A cerimônia de premiação acontecerá em paralelo à entrega dos troféus do Top of Mind da Indústria de Compósitos, no dia 07/11, durante a Feiplar, maior feira da indústria de compósitos da América Latina – de 06-08/11, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP).

Interessados em concorrer ao Prêmio ALMACO de Inovação têm até o dia 01/10 para enviar um arquivo PDF com o descritivo do seu produto ou tecnologia para o e-mail marketing@almaco.org.br.

Sobre a ALMACO

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Para mais informações, acesse www.almaco.org.br

 

Fonte: SLEA Comunicação

Compartilhe
06 set 2018

Máquinas de construção: setor prevê crescer 40% em 2018

De 2014 para 2016, os fabricantes de máquinas para a indústria de construção e mineração viram a sua produção cair exatos 50,4%. Em 2017, os negócios tiveram uma ligeira melhora, de 8,7%; agora, em 2018, os sinais de recuperação já se fazem sentir com maior força, com crescimento de 37,9% até julho.

“Até o final deste ano não deve haver mudança no cenário político. Assim, se mantivermos esse desempenho, na faixa de 40%, será considerado um resultado bem positivo”, observa Eurimilson Daniel, vice-presidente da Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração, que reúne as empresas do setor. O executivo lembra que a queda foi tão expressiva nos últimos anos que mesmo com o atual crescimento o mercado interno não chegará a absorver metade da capacidade instalada da indústria local. A maioria dos fabricantes no Brasil está utilizando apenas 1 turno de produção, enquanto alguns poucos estão em regime de dois turnos.

Para tanto, as exportações têm sido fundamentais. No primeiro semestre, as vendas externas registraram expansão de 39%, com crescimento mais expressivo do segmento de máquinas de terraplanagem e perfuração: 47,1%. As exportações de tratores também apresentaram bons resultados, com alta de 37,3% sobre o primeiro semestre do ano passado. Projeções da entidade estimam que o volume das exportações em 2018 chegará a US$ 5,56 bilhões.

Para Daniel, um dos grandes entraves à retomada da indústria de máquinas de construção é a forte diminuição dos investimentos em infraestrutura – em rodovias, ferrovias, saneamento etc. Anos atrás, explica o executivo, uma fotografia do País mostraria uma grande concentração de máquinas em Belo Monte, nas obras da Copa do Mundo/Olimpíadas, nas refinarias da Petrobras, em ferrovias. Hoje, sem as grandes obras, a distribuição das máquinas está mais pulverizada.

Daniel se mostra otimista com relação aos próximos exercícios. “Existe a necessidade de se investir em infraestrutura e existe capacidade para produzir, o que falta é alinhamento político e segurança jurídica para investir”, afirma. “Passadas as eleições e se o eleito conseguir estabilizar minimamente a economia, os investimentos retornarão. Não de forma abrupta, mas gradativa. Mas economia brasileira é muito dinâmica e, ao contrário de alguns, acredito que em dois ou três anos já será possível retornar ao patamar de 2014, ano em que registramos nosso recorde de produção”, avalia.

SEMINOVAS – O cenário político e a operação Lava Jato (que atingiu diretamente as construtoras) tiveram forte impacto na queda da produção de máquinas de construção e mineração. De outro lado e associado a estes fatores, muitas máquinas financiadas pelo BNDES até 2013 foram retomadas pelos bancos e recolocadas no mercado como seminovas a preços atrativos, o que também afetou as vendas de novas máquinas. Aparentemente, essa questão já foi equacionada, o que deve contribuir para o aumento da produção.

Daniel aponta ainda outros fatores que devem contribuir para a recuperação do mercado. “As máquinas da linha amarela têm uma depreciação forte e, depois de cinco anos de investimento baixo, há a necessidade de renovar a frota, inclusive pelo aspecto operacional”, diz, lembrando que o câmbio – no atual patamar – também deve favorecer a indústria, com o aumento das exportações. (Usinagem Brasil).

 

Fonte: Usinagem Brasil

Compartilhe
06 set 2018

ALMACO convida para o evento “Inovação e mercado global de compósitos”

A Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO) convida para  seu evento sobre Inovação e Mercado global dos compósitos, que acontecerá no dia 05 de novembro, em São Paulo (SP). Na ocasião, Sr. Frédéric Reux, diretor da JEC Composites, apresentará a palestra intitulada “Mercado global dos compósitos” e a executiva especialista da Arkema, Sra. Dana Swan, apresentará uma palestra sobre a “Nova geração de resinas termoplásticas”

Não perca essa excelente oportunidade de compartilhar conhecimento e fortalecer sua  rede de relacionamento.

Vagas limitadas.  Inscrições abertas!

Inscrições (aceitamos cartão de crédito)

R$ 500,00 – incluso Jantar ( couvert, entrada, prato principal e sobremesa) e bebidas alcóolicas (água, suco, refrigerante, cerveja ou chopp e caipirinhas de vodka ou cachaça)

 

Data: 05 de novembro de 2018

Horário: 19h

Local: Restaurante Rubaiyat Faria Lima – Sala Colômbia

Av. Brigadeiro Faria Lima,  2.954 – Jardim Paulistano – São Paulo

Estacionamento no local

OBS: Palestras em inglês. Não teremos tradução simultânea

Para mais informações e inscrição entre em contato conosco através do telefone

(11) 3719-0098 ou e-mail: marketing@almaco.org.br

 

Compartilhe

© 2017 ALMACO. Todos os direitos reservados.

Click Me